quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Saindo da bolha



Bom dia meus queridos leitores e amigos. Quanto tempo !!! Estava com saudades.

Estive ausente pois era época de provas e andei ocupadissima.

Há muito tempo tenho vontade de escrever e algumas vezes sentei aqui enfrente meu computador para tentar e não me vinha nada em mente. Ontem conversando com uma amiga minha consegui perceber mais uma vez o quanto eu tenho talento para expressar o que sinto escrevendo e falando , para ajudar o outro, eu sou especial nesse sentido e estava triste vendo que estava deixando um talento meu de lado que é escrever.

Tenho dificuldade com o Português como já disse a vocês devido a ter sido criada nos Estados Unidos mas eu tenho conteúdo e acho que é isso que importa nesse momento. No meu papo profundo com Manu eu me deparei que eu posso sim ser uma grande escritora . Vou voltar a escrever meu livro e escrever meus sentimentos sem medo de não ser aceita por falar o que penso e sem medo de ser feliz.

É muito difícil você escrever seus sentimentos e se expor. É dolorido escrever a sua história . Mas se eu quero publicar meu livro, se quero ajudar muitos com ele, e tenho projetos com o sucesso do livro eu tenho que novamente enfrentar essa dor. Afinal toda mulher na hora do parto sente muita dor mas depois ela sente uma felicidade que não tem explicação. E escrever sua biografia é parecido com um parto. Você esbarra em coisas que estavam guardadas , em dores que achávamos que estavam curadas e por isso doí . Mas é bom pois falando de nossas dores e traumas é que nos curamos.


Continuo fazendo analise e estou a cada dia que passa uma mulher mais realizada , confiante e acreditando que eu posso sim ser feliz e aceitar a felicidade que EU venho conquistando com muito esforço todos os dias de minha vida.

Gente nada vem fácil . Temos que lutar sempre!!! Muitas vezes caímos mas temos que nos levantar .

Eu tenho uma dificuldade imensa em sentar e escrever, em ficar parada afinal o que escrevo é sobre mim e isso me deixa inquieta. Mas vou vencer esse medo . Ontem percebi e agora tenho 100% certeza que o que eu quero é escrever. Quero continuar meu projeto ajudando os outros. Quero ajudar as famílias que tem alguém com problema de dependência química . Ajudar muitos que passaram ou passam pelo que eu passei que era estar num mundo onde a solidão e a incerteza prevalecia . Sei que posso ajudar e assim também me ajudo.

Não vou deixar o medo me vencer .

Então meus queridos estou de volta para falarmos de assuntos profundos , dores , alegrias , problemas com seus pais , medos, traumas, angustias... Tudo que passei hoje posso ver por outro ângulo! Os problemas continuam sempre .Mas se passarmos a encarar a vida de outra maneira a vida pode ser bem melhor do que pensamos .

Conversando com Manu falamos da vontade que as vezes temos de largar tudo e ficarmos na nossa " bolha " mas não podemos fazer isso não é ?


Temos que sair da " bolha" encarar a vida pois se não ela vem nos buscar . Não adianta fugirmos nem para nossa "bolha" nem para qualquer meio de anestesiar a dor pois anestesiando não é curar e se não curarmos ela volta e as vezes mais intensa! Por isso entre em contato com seu EU e vamos juntos tentar melhorar á cada dia!


Beijos com carinho, Isa



6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Sempre haverá ações ou acontecimentos, que realmente mexa com os mais profundos sentimentos dentro de cada um de nós. Sendo assim ñ vejo q existem problemas! Porque que sentimos dividido? É simples, nos colocamos diferente. Onde ñ existe as diferenças! Talvez precisássemos descobrir outras formas de AMOR, para AGREGARMOS.
    Vjo que precisamos resgatar com AMOR o mínimo de decência que existe, em nossas entranhas, ou melhor, em nosso CORAÇÃO. Sempre a esperança vai vencer o medo, pode até demorar; mas vamos conseguir de alguma forma a expressão, seja ela através da agressividade ou da dança, esporte, musica ou até mesmo dos prazeres que a vida nos traz. Só espero que possamos estar em Comunhão com DEUS, em momentos mágicos. Transferimos e nos adaptamos no começo da nossa existência a tudo que nos interessa, só que nos esquecemos de fazer lavagem cerebral... rsrs:); isso mesmo!!! Precisamos falar do EU, IR BUSCAR de FORMAS DE NOS ENTENDEMOS. E que acontece? Ficamos em cima desses valore por acomodações, “BOLHA”, sem perceber que tudo está em movimento.
    Gostaria de compartilhar, interagir ñ só com a escrita, mas também verbalmente com você ISABELLA. Parabéns pela iniciativa de um novo recomeço... Bj

    ResponderExcluir
  3. Isa, nunca desista de seus sonhos e de suas missões, pois são estes q farão de vc uma mulher segura e realizada> Continue na luta de suas ambições...Sou seu fã e admirador... bjs
    RLS

    ResponderExcluir
  4. Oi Isa, gostei muito do que vc disse, especialmente quando mencionou "Não adianta fugirmos nem para nossa "bolha" nem para qualquer meio de anestesiar a dor pois anestesiando não é curar e se não curarmos ela volta e as vezes mais intensa"!

    Eu era assim preso no meu Eu e querendo explodir. Foi aí que comecei a escrever tudo o que me incomodava, e quando menos esperei estava com um livro pronto.

    Olha me senti muito bem em poder compartilhar meus pensamentos com outras pessoas.

    Organize suas idéias enfrente-as e publique-as. Posso dizer por experiência própria que além de te ajudar com certeza será de grande benefício para outras pessoas.

    O livro que escrevi foi: INTERSECÇÃO Um Raio x Matemático da Bíblia.

    Sucesso para vc e um forte abraço.

    ResponderExcluir